TOP
Uncategorized

“Como se tornar um freelancer”

Como se tornar um freelancer

Na entrevista de hoje, a Debbie Corrano fala sobre como se tornar um freelancer. Ela dá dicas para quem quer começar agora, fala sobre as dificuldades dessa escolha e, explica o que teria feito diferente se fosse iniciar hoje este estilo de vida.

Dá uma olhada no vídeo da na nossa entrevista abaixo:

 

Se você ainda não assistiu a primeira parte da entrevista da Debbie, onde ela conta sua trajetória até virar “freelancer”, clique aqui!

PRINCIPAIS DIFICULDADES DE SER UM FREELANCER

Debbie conta, que ela demorou a se acostumar com a questão da estabilidade financeira, mas diz que ela existe. Basta se planejar e adaptar.

“uma vez que você pega no tranco, funciona.”

Ela explica, que esse é um medo muito comum em quem quer se tornar um “freeelancer. Muitos ficam preocupados em não saber ao certo como administrar esse novo estilo.

Logo no início, quando saiu do Brasil e se mudou para Berlim, Debbie tinha muitos clientes. Mas, no primeiro mês, ela conta que todos sumiram.

“A gente pensou, meu deus, ferrou, a gente tomou a pior decisão da nossa vida”

O que a manteve, foi o dinheiro que tinha guardado, pois ficou 2 meses sem novos clientes. Com o tempo, Debbie explica que conseguiu se recuperar e os clientes foram voltando.

Como se tornar um freelancer

DICA PARA AJUDAR A OBTER A ESTABILIDADE FINANCEIRA

Debbie conta, que é possível virar “freela” já com estabilidade financeira. O importante é controlar as finanças para saber de onde e quando o dinheiro está vindo.

Como dica, Debbie fala sobre o pagamento parcelado.

No Brasil, diferente da grande maioria de países, existe a possibilidade do pagamento parcelado. Ela explica que isso é maravilhoso.

Além de ser muito bom para o cliente, que terá um prazo maior para pagar, dá um certo conforto a longo prazo.

Debbie diz que, com as parcelas, é possível ter um cronograma de recebimento dos clientes.

“Você acaba ficando com a cabeça mais fresca para correr atrás de outros clientes.”

Ela explica, que a estabilidade não é uma utopia. Se você já têm clientes fixos e um bom planejamento sobre seus gastos, é um excelente começo.

Hoje, Debbie diz, ter conseguido atingir essa estabilidade. Sua fonte de renda vem:

  • metade do Blog Pequenos Monstros: através de cursos e e-book.
  • metade de trabalho que faz como “freelancer”.

Em relação ao blog, Debbie conta que é como uma loja. Tem mês que recebe mais, mês que recebe menos. Mas fala que já dá para ter uma idéia da renda que vai entrar por mês.

“Muita gente tem medo da instabilidade financeira. Mas quão seguro é você colocar sua vida inteira na mão de uma pessoa que é o seu chefe?”

Ela conta que, quando se é freelancer, se trabalha para uma pessoa, que é você mesmo. Com isso, maior é controle sobre a própria vida.

Como se tornar um freelancer

DICA PARA QUEM QUER COMEÇAR AGORA

Debbie diz que, o primeiro passo é não ouvir sites sensacionalistas que falam para você largar tudo e apenas ir.

Ela vê isso como um erro. Explica que o planejamento é muito importante.

Antes de tomar a decisão de se tornar um freelancer, é importante entender o que se tem para oferecer remotamente.

Ela explica, que as pessoas acham que só algumas profissões podem ser “freelancer“. Mas, como ela já explicou na primeira parte da entrevista, isso não é verdade.

Debbie conta, que é preciso usar os conhecimentos que foram adquiridos ao longo da trajetória pessoal e profissional, para analisar qual seria a melhor forma de trabalho remoto e, se esse estilo de vida é para você.

Como se tornar um freelancer

COMO SE TORNAR UM FREELANCER

A jornada não é simples. Mas, para ajudar a todos que querem seguir esse caminho, Debbie, junto a Felipe Pacheco, criaram um conteúdo online mais que especial.

Depois de terem:

  • vivenciado muitas conquistas;
  • passado por muitos perrengues;
  • conversado com muitos freelancers;
  • estudado e pesquisado muito sobre o assunto,

Eles desenvolveram, juntos, um curso chamado PASSAPORTE FREELA.

Como se tornar um freelancer

PASSAPORTE FREELA

O curso nada mais é do que um guia para conquistar a liberdade profissional.

Apesar de ser o desejo de muitos, não é o de todos. Por isso, eles disponibilizam um curso GRATUITO, para que antes de fazer qualquer investimento, você tenha certeza que ser freelancer é para você.

Neste curso que, nada mais é do que a parte introdutória do PASSAPORTE FREELA, você vai encontrar as seguintes respostas para suas dúvidas:

  • o que é ser “freelancer“?
  • o que esperar dessa vida?
  • balanço tempo x dinheiro;
  • como você pode virar “freela”?
  • organizando as finanças;
  • o que você pode oferecer como freela?

“Você precisa enxergar as coisas que você faz hoje, como pequenas habilidades que você vai conectando.”

Para ela, a parte mais legal foi conversar com outros “freelancers e incluir a experiência deles. Ver, tudo o que já deu errado e ajudar a quem está começando agora a evitar esses perrengues.

Debbie explica que, se a pessoa ver o curso e estudar bastante, dá para desenvolver algo robusto de verdade.

“Você se torna uma marca… e sem cometer todos os erros que a gente cometeu.”

Como se tornar um freelancer

O QUE TERIA FEITO DIFERENTE?

ENTRADA DE DINHEIRO VARIÁVEL

Debbie conta que, quando saiu do Brasil pela segunda vez e embarcou para Berlim, foi um momento muito crítico. Ela explica que gastou muito dinheiro com a mudança.

Assim que chegaram, todos os clientes desapareceram. Ela viajou sem nenhum projeto já fechado, e acabou ficando dois meses sem receber nada.

Ela conta, que demorou muito para lidar com a entrada de dinheiro variável.

Mesmo com todo seu planejamento, ela ainda não tinha descoberto um jeito de como iam fazer funcionar essa organização financeira.

Depois de muito apanhar, de conversar com outras pessoas e de ficar criando mil tabelas, ela diz que finalmente conseguiu encontrar um meio para estabilidade financeira.

“O que sempre da medo mesmo é a questão financeira”

CRIAR UM “DEAD LINE”

Apesar do planejamento ser muito importante, Debbie fala da importância de criar um “dead line”. Definir um dia para embarcar.

“Ter um “dead line” para embarcar no dia “tal”, porque se não, você nunca vai.”

Se o medo bater, ela sugere o exercício da pior coisa que pode te acontecer.

Pense, qual a pior coisa que pode te acontecer se você tomar a decisão de realizar o seu sonho.

Em um exemplo, Debbie diz que no mundo “freelancer“, a pior coisa que pode acontecer é não conseguir um cliente.

Neste cenário, se você não conseguisse um cliente, teria provavelmente que:

  • retornar ao Brasil;
  • voltar a viver com os pais;
  • buscar um novo emprego.

“Isso é tão horrível assim?”

Debbie diz que se as opções acima são tão horríveis, você pode:

  • tentar conseguir um visto que permita ficar fora do Brasil;
  • buscar um trabalho localmente onde você está;
  • entre diversas outras opções.

Ela explica que, o importante é analisar, pois ao final,  a pior coisa, não estará mais tão amedrontadora assim.

“A verdade, é que você só está com medo do desconhecido.”

Como se tornar um freelancer

Estão gostando do bate papo? Então fica de olho, porque vem muito mais por ai. Vai lá e curti nossa página do Bora Morar Fora no Facebook e se inscrever no Canal do Youtube para ser avisado assim que sairem as próximas partes. =)

Nas próximas entrevistas, Debbie conta como fez para pegar mais de 12 voos com seus dois cachorrinhos. Ela vai falar sobre o processo e, também, dar super dicas para quem não consegue viver sem seus amigos de quatro patas.

 


Sequência de entrevistas da Debbie Corrano para o Bora Morar Fora:


 

Tags:    

«
»

what do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *