TOP
Alemanha Viajando Sozinho

“DIFICULDADES DE MORAR NA ALEMANHA 🇩🇪”

Dificuldades de morar na Alemanha

bate-papo de hoje é com o Joriam Philipe que, há dois anos, saiu do Rio de Janeiro rumo à Berlim. Ele passou por diversos perrengues e, através deles, se reinventou e criou um jogo INCRÍVEL para fazer novas amizades e ter encontros diferentes morando fora. Hoje, Joriam conta sobre as dificuldades de morar na Alemanha e como seu jogo o ajudou nesta “saga”.

Eu também entrei nesta brincadeira e me diverti demais durante essa entrevista.

Confira abaixo o vídeo na integra do nosso bate-papo sobre as dificuldades de morar na Alemanha:

Se preferir a leitura, abaixo todo o conteúdo e links da nossa conversa.

 

VIDA ANTES DE MORAR FORA

No Brasil, Joriam conta que estava em um momento muito bom de sua vida.

Segundo ele, a idéia de sair do país veio de uma visão que teve com seus dois amigos de que o cenário político e econômico iam piorar. Com isso em mente, eles abriram o mapa mundi e começaram a pensar para onde gostariam de ir para fugir da crise.

“A gente não quer viver no circo quando ele tiver pegando fogo”.

Após optarem pela Alemanha, devido a curiosidade de conhecer melhor esta cultura, eles levaram um ano e meio para se preparar para esta nova experiência.

 

VISTO DE ESTUDO

Joriam conta que tentou fazer o visto de estudo ainda no Brasil.

Porém, quando chegou consulado geral da Alemanha no Rio de Janeiro, foi informado que:

  • o processo para obtenção do documento demorava seis meses;
  • ele não conseguiria tirar este tipo de visto na Alemanha, teria que ser ali no consulado mesmo.

Joriam explica que acabou saindo com visto de turismo do Brasil. Porém, ao contrário do que foi informado no consulado, assim que chegou na Alemanha conseguiu solicitar o visto de estudo em um processo de apenas dois dias.

Segundo ele, nem sempre as pessoas e autoridades te passam uma informação atualizada e verdadeira. Isso ocorre porque cada caso é um caso e, também, porque a informação pode estar desatualizada.

Por essa razão, ele indica entrar em contato com brasileiros que estão por lá, para que eles te dêem um melhor direcionamento através das experiências que vivenciaram.

DIREITOS DO VISTO

Por ter visto de estudo intensivo de línguas, Joriam teve direito a:

  • permanecer um ano legal no país;
  • trabalhar 20 horas semanais.

Apesar da permissão de trabalho, ele conta que por já ter sua própria empresa no Brasil, não precisou procurar por nenhum trabalho alternativo.

1ª DIFICULDADE: RELACIONAL

Joriam conta que foi difícil se adaptar a Alemanha.

Para ele, a dificuldade relacional foi a que mais pesou. Logo de cara, teve a impressão que o alemão era um povo bastante frio e de difícil aproximação.

Segundo Joriam, ele e seus amigos curtiam bastante a vida noturna por lá e ele, inclusive, voltou a utilizar o Tinder, aplicativo de relacionamentos.

Cansado de sempre sair com as mesmas pessoas e de, depois de alguns diferentes encontros no Tinder, perceber que as conversas eram sempre as mesmas, Joriam decidiu fazer algo a respeito.

“No quinto encontro eu já sabia até a reação da pessoa.”

Ele conta que se trancou em seu quarto por um período para “prototipar” algumas ideias que o ajudassem a melhorar sua vida social.

O JOGO “JO JO JO

No início, ele explica que pegou vários “post its” e escreveu as perguntas mais estranhas que você pode imaginar. Com elas em mãos, ele religou seu “Tinder” e, ao invés de convidar as mulheres para sair, ele as convidava para um experimento social.

A partir deste momento, Joriam relata que sua vida social mudou para muito melhor.

DIVULGANDO SUA IDEIA PARA O MUNDO

Vendo os benefícios em seu dia a dia, ele percebeu que poderia ajudar outras pessoas a terem conversas e encontros diferentes. Onde, elas poderiam se conhecer de uma forma muito melhor e mais divertida.

Hoje, Joriam vende o jogo “Jo Jo Jo” através de seu site que, já está sendo utilizado, inclusive, por empresas com o intuito de melhorar o ambiente corporativo.

COMO O JOGO FUNCIONA

Joriam conta que é um jogo de perguntas divididas da seguinte forma:

  • Cartas Vermelhas: perguntas esquisitas – que você, provavelmente, nunca ouviu em sua vida.
    • Ex: “Se você fosse uma bateria, qual eletrônica você amaria carregar e qual eletrônico você odiaria carregar?
  • Cartas Azuis: perguntas profundas –  que te fazem refletir sobre sua existência.
    • Ex: “De todas suas memórias, qual a que você considera a mais preciosa e porquê?

Um dos participantes escolhe um dos tópicos (esquisitas ou profundas) e, o mesmo, responde a pergunta que lhe será feita.

Como demonstrado acima, as perguntas não são óbvias. Por isso, o jogo é faz com que os participantes respondam as mais diferentes perguntas para colocar o seu “eu” mais profundo e divertido para fora.

2ª DIFICULDADE: ENCONTRAR UM LOCAL PARA MORAR

Após 1 ano na Alemanha, Joriam conta que já tinha se mudado 9 vezes. Segundo ele, hoje, está morando na décima primeira residência desde chegou.

Por conta da dificuldade em encontrar um local para ficar, ele explica que sempre dividiu o apartamento com outras pessoas. Apenas duas, destas onze vezes, ele conseguiu alugar o apartamento só para ele:

  • A primeira vez, foi quando uma amiga brasileira viajou e, no período em que ela estava fora, aceitou alugar pelo valor que Joriam podia pagar.
  • A segunda, é a que ele está agora.

Apesar de viver em um bom apartamento hoje, Joriam conta que, comparado ao Rio de Janeiro, encontrar apartamento em Berlim é um caos.

Em sua opinião, isso ocorre devido às leis impostas pelo governo para controlar o aumento do aluguel de imóveis. Por isso, os apartamentos são baratos e sempre que surge uma oferta, em poucas horas eles são alugados.

COMO ESSA BUSCA MUDOU SUA VIDA

Devido a dificuldade de encontrar apartamento, Joriam relata que teve a ideia de fazer um vídeo – super criativo – contando sobre suas habilidades comohousemate“.

“Eu coloquei no Facebook, dizendo: eu sou o melhor ‘housemate’ da história”.

Para sua surpresa, o vídeo se tornou semi viral na internet atingindo cerca de 18 mil visualizações.

Entre alguns dos comentários, uma mulher entrou em contato com ele explicando que não tinha um apartamento para oferecer, mas que gostaria de sair para tomar um café.

Entre um café e outro, o relacionamento foi ficando sério e, por fim, Magdalena e Joriam se casaram.

Abaixo, o vídeo feito por ele contando o motivo de ser o melhor “housemate”:

3ª DIFICULDADE: BUROCRÁTICA

Joriam explica que a Alemanha é um país extremamente burocrático, o que acaba dificultando qualquer tipo de processo.

Segundo ele, fazer a declaração do Imposto de Renda por lá foi um acontecimento marcante, que o fez notar a complexidade do sistema alemão.

“As pessoas não estão acostumadas com o nível da burocracia e do detalhismo do pessoal daqui, e não é somente para estrangeiro, os próprios alemães ficam impressionados.”

 

4ª DIFICULDADE: FALAR ALEMÃO

Joriam conta que, mesmo falando 5 idiomas, o alemão ainda não é um deles.

No entanto, ele não atribui isso a uma dificuldade e, sim, a ter dedicado a maior parte do seu tempo em assuntos mais importantes nesta primeira fase fora, como:

  • visto;
  • burocracia;
  • se relacionar com pessoas;
  • dinheiro para se manter por lá.

Apesar de ter muita vontade em desenvolver a fluência no idioma, ele diz que, por enquanto já aprendeu o básico para se comunicar na rua.

“Eu me sinto um pouco culpado por não falar a língua ainda.”

 

5ª DIFICULDADE: O CLIMA

Segundo Joriam, nos dois últimos invernos, apesar de já morar na Alemanha, ele não esteve no país, pois viajou para outros lugares.

  • 1º Inverno: ganhou um Cruzeiro para o Caribe. 
  • 2º Inverno: passou um mês no verão de Wellington, na Nova Zelândia, pois foi convidado pelo grupo En.spiral para fazer um trabalho de filmagem com eles.

Ele acha injusto falar do frio, pois ainda não vivenciou o inverno europeu. No entanto, relata que mesmo no verão os alemães comentam sobre o frio que passou ou que está chegando.

“O pessoal fica ‘deprê’ […] esquece que o céu é azul”.

 

“AQUELA AJUDA” PARA VOCÊ EVITAR AS DIFICULDADES DE MORAR NA ALEMANHA

Depois de passar por muitos perrengues, Joriam fala sobre a importância de buscar a mesma informação em mais de uma fonte. Ou seja, não sair acreditando logo no que a primeira pessoa te falar.

Desta forma, você terá segurança em saber se o que você ouviu é verdade ou não e isso pode evitar muitos problemas.

Segundo ele, as fake news” ou, até mesmo, as informações desatualizadas podem atrapalhar o seu processo para morar fora.

“Você leu a informação, guarde ela, mas não acredite simplesmente como a verdade.”

Abaixo, dois exemplos citados por ele para reforçar a importância de averiguar as informações mais de uma vez:

  • Entrou em um curso de alemão porque uma pessoa havia dito que era ótimo. No entanto, não era tão bom assim;
  • Esperou 14 dias para resolver uma pendência do visto porque uma pessoa tinha explicado que era dessa forma. Mas, depois acabou percebendo que seria bem mais rápido se tivesse ido diretamente no consulado da Alemanha para resolver.

BESTS SPOTS DE BERLIM

Joriam diz que existem muitos “best spots” pela cidade. Porém, abaixo, citou três de seus lugares favoritos em Berlim.

  • SAMEHEADS: um bar que, segundo ele, parece uma obra de arte;
  • AIR-LIFT: um antigo aeroporto na época da guerra fria que foi muito importante para história da Alemanha. Hoje está desativado e se tornou um parque.
  • TEUFELSBERG: é o ponto mais alto de Berlim formado por escombros da segunda guerra mundial. Segundo Joriam, são 40min de caminhada dentro da mata até chegar ao local que é uma verdadeira obra de arte cheia de grafites.

Apesar de todas as dificuldades de morar na Alemanha, Joriam conseguiu se reinventar e criar novos projetos que, hoje, ajudam outras pessoas. E você? já pensou em se reinventar fora?

Gostou da entrevista? Então, fica de olho no Bora Morar Fora, pois muitas novidades vão vir por aí. Vai lá, curta a nossa página do Bora Morar Fora no Facebook e se inscrever no Canal do Youtube para ser avisado sempre que as novidades saírem. =)


Se identificou com o Joriam? Abaixo todos os links para suas redes sociais e sites:


:: Artigo escrito em colaboração com Wéverton Rodrigues ::

Tags:      

«

what do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *