TOP
Nômades Digitais Viajando em Casal

“HOUSE SITTING: HOSPEDAGEM DE GRAÇA PELO MUNDO 🏠💰”

HOUSE SITTING: HOSPEDAGEM DE GRAÇA PELO MUNDO

Nesta segunda parte da entrevista com a Larissa, doVida Cigana, ela explica sobre o House Sitting, uma forma de se hospedar de graça em qualquer lugar do mundo.

Ela, que junto com seu marido, Carlos, que já visitaram mais de 35 países e, muitas vezes, não pagaram absolutamente nada com hospedagem, vai explicar sobre esta técnica, falar sobre os melhores sites e contar de que forma você também pode fazer isso.

Confira abaixo o vídeo na íntegra da nossa entrevista:

Se preferir a leitura, segue abaixo um resumo detalhado do nosso bate-papo:

 

O QUE É HOUSE SITTING?

House Sitting é quando o proprietário de uma casa tem se ausentar de sua residência, mas precisa que alguém assuma algumas responsabilidades da casa. Em troca destes favores, ele oferece a hospedagem de graça.

As responsabilidades variam de acordo com a necessidade do proprietário. Abaixo, alguns exemplos:

  • tomar conta de um animal de estimação;
  • limpar a piscina;
  • aparar a grama;
  • cuidar das plantas;
  • coletar a correspondência;
  • apenas ficar na casa para que estranhos não pensem que ela está vazia.

Esse modelo, nada mais é do que uma forma de economia colaborativa, onde o dinheiro é substituído pela troca de favores.

Larissa conta que, agora, ela e Carlos estão hospedados de graça em uma casa na Suécia tomando conta de um gato.

Segundo ela, se o proprietário tivesse que deixar o animal em um “hotel para pets”, seria mais caro e estressante para o animal.

“É muito melhor para o bicho ficar em um ambiente que ele já conhece, além de ser mais caro pagar o canil do que as contas de luz e internet na sua própria casa.”

HOUSE SITTING: HOSPEDAGEM DE GRAÇA PELO MUNDO

COMO FUNCIONA O HOUSE SITTING?

Larissa conta que o proprietário da casa coloca um anúncio em um site explicando que ele precisa de alguém para assumir uma responsabilidade específica no período que ele estará ausente.

Em paralelo, você pode se cadastrar dentro da mesma plataforma e, se estiver disposto a cumprir essa tarefa e o proprietário gostar do perfil que você cadastrou, vocês marcam uma videoconferência para alinhar as expectativas finais.

Estando tudo certo, você se hospeda gratuitamente na casa dele.

“Você fica na casa da pessoa sem pagar absolutamente nada. Você tem direito a internet, hospedagem… e em troca disso você leva o cachorro para passear, coloca comida para ele… essas coisas.”

 

MELHORES SITES PARA HOUSE SITTING

Larissa explica que existem muitos sites e, em todos eles, é preciso pagar uma taxa para se inscrever.

Segundo ela, eles usavam muito o “Kiwi House Sitters na Nova Zelândia. Pois, como é um site específico para o país, só se cadastram pessoas que estão buscando acomodação por lá.

“É bem mais fácil conseguir porque é menos concorrido.”

Para quem está buscando uma plataforma mundial, Larissa aconselha o site “Trusted House Sitters“, pois ele tem casas em tudo quanto é local que você possa imaginar.

Através dele, Larissa e Carlos tiveram experiências na Austrália, Singapura e em alguns países da Europa. Porém, ela alerta que ele é mais concorrido.

“Lá aparecem lugares como Paris, NY… locais que muitas pessoas querem ir, então é meio guerra, quem tiver o perfil melhor, consegue.”

Segundo Larissa, outra opção menos concorrida para quem está buscando casa na França ou na Inglaterra é o “Nomador“.

HOUSE SITTING: HOSPEDAGEM DE GRAÇA PELO MUNDO

PERÍODO DE DURAÇÃO

Segundo Larissa, o tempo de duração na hospedagem varia muito.

Ela conta que já ficou:

  • dois meses;
  • duas semanas;
  • apenas no final de semana;

Porém, Larissa e Carlos preferem pegar estadias mais longas. Pois, dá mais tempo para ganhar a confiança do animal e não ter que ficar trocando de acomodação o tempo todo.

“A gente gosta de viajar de uma forma mais lenta, pois como a gente trabalha com blogging e precisa de uma estrutura para trabalhar, encaixa com nosso propósito.”

 

ALGUNS PERRENGUES ENFRENTADO PELO CASAL

Larissa conta que, em geral, as experiências são muito boas. Mas, já passou por alguns sufocos cuidando de animais.

Ela relata que, uma vez na Nova Zelândia, um chihuahua ficou muito desesperado porque os donos haviam ido embora. Por conta disso, logo no primeiro dia, ele fugiu de casa.

Porém, após mobilizar a vizinhança inteira, ela conta que encontrou o animal.

“Todo mundo saiu com o carro para ver se achava o cachorro e, no final, encontramos, deu tudo certo. Mas, é aquilo, bate o desespero!”

Outro perrengue que eles já passaram foi com um cachorro mais arisco. O animal não se aproximava deles de jeito nenhum e chegou a morder o dedo da Larissa.

Mas, a parte legal da história é que ela alertou os donos e indicou passear mais com o cãozinho para ele socializar com outros animais. Pouco tempo depois, ela disse que viu fotos no facebook do cachorro tendo treinamentos e ficou muito feliz.

“Foi legal para evolução do animal.”

Imagem retirada do Instagram @vidacigana

Clique aqui para saber como a Larissa e o Carlos conseguiram um visto na Nova Zelândia que os permitiu morar e trabalhar um ano pelo país.

Para saber mais sobre a vida de brasileiros nômades digitais pelo mundo, clique aqui!

Gostou da entrevista? Então, fica de olho no Bora Morar Fora, porque vem mais por aí. Curta a nossa página do Bora Morar Fora no Facebook e se inscreva no Canal do Youtube para ser avisado sempre que as novidades saírem. =)

Tags:   

«
»

what do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *