TOP
Portugal Viajando em Família

“Morar com Adolescentes em Portugal: Escola”

MORAR com ADOLESCENTES em PORTUGAL: ESCOLA

Nesta segunda parte do bate-papo com a Mic sobre ir morar com adolescentes em Portugal, ela fala sobre o motivo que a fez optar pela escola de seus filhos, como é o ensino por lá e algumas dicas sobre como lidar com a adaptação deles a nova metodologia de ensino.

Se você ainda não viu, dá uma olhadinha na primeira parte, onde ela relata como está sendo morar com adolescentes em Portugal e as diversas dicas para quem já fez ou está pensando em fazer o mesmo.

Confira abaixo o vídeo da nossa entrevista sobre escola para adolescentes em Portugal:

Se preferir a leitura, sem problemas, abaixo todo o conteúdo e links da nossa conversa.

BUSCANDO A MELHOR ESCOLA

Mic explica que, antes de decidir onde ia morar, pesquisou as cidades que tinham boas escolas para proporcionar um bom ensino para seus filhos.  

“Essa era minha primeira preocupação.”

Ela conta que, em Portugal, não se pode definir exatamente onde o filho vai estudar. A escolha é determinada de acordo com a região em que a família mora.

Por essa razão, Mic indica viver em um local onde há algumas opções de boas escolas.

Desta forma, se não houver vaga na instituição que você quer, terão outras possibilidades deles terem um bom ensino.

Para ter uma ideia, Mic conta que procurou o ranking das escolas de Portugal.

Apesar de não gostar de classificações, diz que isso a ajudou a ter uma base para iniciar suas pesquisas.

Como primeiro passo, ela viu que a região de Cascais era excelente e haviam escolas muito bem conceituadas. Foi a partir daí, que ela criou um mapa no ‘Google Maps’ onde destacou:

  • escolas classificadas até o número 50;
  • escolas classificadas após o número 50;
  • pontos turísticos;
  • supermercados;
  • entre outros.

Após essa pesquisa, ela relata que entrou em um grupo no facebook de mães brasileiras em Portugal. Mic diz, que queria saber a opinião de outras mães que estão vivendo por lá.

Ela explica que fez isso, pois, para ela, educação não é apenas aprender a matéria, mas, sim, aprender a socializar, ser um cidadão decente.

“Educação não é só aprender matemática e português, isso para mim é o de menos.”

Morar com Adolescentes em Portugal: Escola

A ESCOLHA PELA ESCOLA SECUNDÁRIA DE CARCAVELOS

Mic conta que, após suas buscas, viu que sua primeira opção seria a Escola Secundária de Carcavelos.

Ela explica, que optou por essa escola devido a metodologia de ensino e tratamento aos alunos.

Segundo Mic, o diretor da Escola, Adelino Calado, é uma figura muito conhecida devido a forma revolucionária de pensar quando o assunto é educação.

Abaixo algumas regras estipuladas por ele, onde as crianças e adolescentes têm que:

  • ter responsabilidades pelos seus horários;
  • estudar independente de alguém mandar – por isso é proibido passar dever de casa;
  • ser avaliados em sua totalidade – o peso da prova é de apenas 30%;

Ela conta, que Adelino tem um modo diferente de ver a educação e, para ela, esse foi o maior diferencial.

Mesmo sendo uma escola muito concorrida, ela não perdeu as esperanças e acabou conseguindo uma vaga Rafael e outra para Júlia.

“O diretor falou: Foi um milagre que a senhora conseguiu operar.”

PERÍODO ESCOLAR

Assim como a grande maioria das escolas de Portugal, a Escola Secundária de Carcavelos também funciona em período integral.

Como o Rafael e a Júlia sempre estudaram meio período, o que é comum no Brasil, Mic explica que gostou da forma flexível que a escola organiza o quadro de horários.

“Não é linear, tem dias que eles saem duas, tem dias que saem quatro e quinze.”

Desta forma, a transição seria menos dolorosa para adaptação deles a nova rotina.

Morar com Adolescentes em Portugal: Escola

ADAPTAÇÃO À NOVA ROTINA

NA ESCOLA

Devido a nova metodologia, em que o adolescente não é apenas avaliado pelas provas mas também pelo comportamento, Mic explica que consegue perceber a mudança positiva em seus filhos.

Ela conta, que Júlia esquecia de levar a flauta na aula de música. Quando percebeu que sua nota estava caindo, mudou de atitude e, hoje, não esquece mais.

Apesar do Rafael não comentar muito sobre o que acontece na escola, ela diz que, como mãe, percebe que ele está mudando.

Outro ponto que Mic aborda, é o fato das escolas do Brasil serem muito protetoras. Para ela, isso acaba retardando o crescimento das crianças.

Ela diz, que os pais também acabam “pecando” por terem liberdade de falar diretamente com alguém da escola caso seu filho tenha algum problema.

Segundo ela, se a Júlia ou o Rafael esquecessem algo, eles ligavam para Mic, para que ela, então, resolvesse o problema falando com a coordenação do colégio.

“Eu estava protegendo eles em um nível que nunca ia ser bom.”

Morar com Adolescentes em Portugal: Escola

NO DIA A DIA

No Brasil, Mic diz que, apesar de querer muito, não dava muita liberdade para o Rafael e a Júlia devido ao medo da violência.

Porém, desde que chegaram em Portugal, ela vem tentando explicar à seus filhos que eles podem andar e se virar sozinhos pela cidade.

“É que nem passarinho. Está na gaiola a vida inteira, se você abre a porta ele não coloca nem a cabeça para fora.”

Ela conta que, agora, eles estão começando a se soltar mais.

Relata que a Júlia já vai e volta sozinha para o inglês e o Rafael, que é mais tímido, já está se sentindo mais a vontade para ir desacompanhado aos lugares.

DICA PARA OS PAIS NÃO “PIRAREM” DURANTE A ADAPTAÇÃO

Na adolescência, é normal que o jovem tenha muitos altos e baixos.

Nestes momentos, Mic diz que é importante saber diferenciar:

  • o que já é normal da idade;
  • do que está realmente sendo causado pela mudança.

Ela explica, que é natural do adolescente ser intenso.

Muitas vezes a razão para um momento ruim não necessariamente foi gerado por eles estarem em outro país.

Por isso, ela fala para todos os pais não se cobrarem tanto em relação a adaptação.

Morar com Adolescentes em Portugal: Escola

Quer saber mais dicas sobre morar com adolescentes em Portugal? CLIQUE AQUI para ver a primeira parte da entrevista, onde Mic divide suas experiências com seus filhos por lá.

 

“A BOLHA ESTOUROU”

Mic explica que, para seus filhos, era muito bom morar no Brasil porque eles viviam em uma bolha.

Ela conta, que eles não tinham dimensão do problema.

Segundo Mic, ela vinha mostrando algumas notícias para inteirar-los à realidade brasileira. Mas, ao mesmo tempo, não queria assustar.

Ela diz que tentou explicar para Rafael que, assim como ele, ela não gostaria de deixar o Brasil. Porém, do jeito que a crise e a insegurança estavam, a melhor opção para a família era mudar para Portugal.

“Rafa, não é que eu não queira ficar no Brasil, mas chegou a um ponto que você está vendo”.

Independente da violência, Mic diz que, curiosamente, mudou para Portugal devido a problemas financeiros.

“A gente ia ter que mudar nosso estilo de vida de qualquer forma.”

Morar com Adolescentes em Portugal: Escola

Quer saber o porquê para Mic ir morar com adolescentes em Portugal era sinônimo de REDUZIR CUSTOS? A entrevista vai ser lançada já já! Se quiser ser avisado assim que ela sair, basta curtir página do Bora Morar Fora no Facebook e no nosso Canal do Youtube.

 


Se identificou com a Mic? Abaixo todos os links para suas redes sociais:


:: Artigo escrito em colaboração com Wéverton Rodrigues ::


Tags:    

«
»

what do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *