TOP
Portugal Viajando em Família

“Morar em Portugal: Visto D7 – Titulares de Rendimentos Próprios”

Morar em Portugal: Visto D7 - Titulares de Rendimentos Próprios

O bate-papo de hoje foi MARAVILHOSO. Tive a oportunidade de entrevistar o Lucas (29 anos) e a Nathalia (28 anos), do EuroBox Portugal, que há 10 meses foram morar em Portugal com sua filha Nina, de 4 anos, através do visto D7.

Dá uma olhada no vídeo da na nossa entrevista abaixo:

 

Se preferir a leitura, sem problemas! Abaixo todo o conteúdo e links do nosso bate-papo.

O QUE FAZIAM ANTES DE SAIR DO BRASIL?

Natalia é formada em moda, mas conta que desde o nascimento de Nina ela parou de trabalhar.

Lucas conta, que com 17 anos criou junto a sua irmã uma fábrica de roupas. E, hoje, eles têm uma rede de lojas.

 

COMO ESTAVA A VIDA ANTES DE MORAR FORA

Antes de ir morar fora, Lucas explica que estava com um pouco de medo de sair na rua. 

Ele relata, que em menos de um ano eles foram assaltados três vezes:

  • A primeira vez, Lucas foi assaltado dentro de sua empresa.
  • A segunda, foi ainda pior, pois Nina estava junto. Os três estavam dentro do carro quando sofreram um assalto a mão armada.
  • Por último, a bicicleta de Lucas foi levada enquanto ele jogava futebol.

“Esse último foi um bobinho.”

 

MOTIVAÇÃO PARA MORAR FORA?

Segundo Nathalia, o Lucas sempre quis morar fora.

“Era um desejo muito grande dele.”

Ela explica que, por ser muito ligada a sua família, acabou resistindo um pouco no início.

Porém, depois do assalto junto com a Nina, ela percebeu que a segurança de sua filha estava em risco, e acabou cedendo aos planos de Lucas em relação a ir morar fora.

“Por mais que você  tenha uma estabilidade financeira.. você continua sujeito a colocar sua filha na mira de uma arma.” – Nathalia.

Lucas conta que sempre teve vontade de sair do país e ela só aumentou depois do assalto.

“Chega um garoto de 17 anos, drogado… se ele escorregar o dedo, acabou com a sua vida.” – Lucas.

Ele explica que, quando se coloca em uma balança a qualidade de vida e junta com o fato de ter uma criança pequena para criar, fica fácil decidir.

Morar em Portugal: Visto D7 - Titulares de Rendimentos Próprios

POR QUE MORAR EM PORTUGAL?

Portugal não foi primeira opção do casal.

No início eles queriam ir para os EUA, mas perceberam que não era possível.

“A gente não tinha dinheiro para ter um Green card” – Nathalia

Segundo Lucas, a opção para ir legalmente para os EUA seria com o visto de investimento. Porém, eles não tinham condições financeiras para bancar possibilidade.

Ele explica, que seria um grande investimento e o retorno é muito ruim, de apenas 4% ao ano.

Apesar de nunca ter cogitado ir para Portugal, nem mesmo para passear, como Nathalia é bisneta de português, ela sugeriu que Lucas desse uma olhada para ter uma nova opção de morar fora.

Durante as pesquisas, Lucas percebeu que Portugal era até melhor do que os EUA.

“Por que ir para os EUA, se eu posso ir para Portugal legalmente e vou ter uma educação melhor, uma saúde pública melhor.. no geral, uma qualidade de vida melhor.”

 

POR QUE MORAR EM CASCAIS?

Nathalia conta, que eles queriam uma cidade não tão grande como Lisboa, mas também não tão pequena a ponto de se sentirem sozinhos.

“A gente quis ficar em um lugar que tivesse mais eventos.. aquele burburinho”

Eles acabaram optando por Cascais e estão realizados com a decisão.

Morar em Portugal: Visto D7 - Titulares de Rendimentos Próprios

PROCESSO PARA MORAR EM PORTUGAL

Nathalia conta que, apesar de ser bisneta de português, ela ainda não tirou a cidadania.

Por isso, eles acabaram optando pelo visto D7, que é um visto para quem rendimentos mensais suficientes para se manter em Portugal e para aposentados.

COMO O VISTO D7 FUNCIONA?

Lucas conta, que é preciso tirar o visto através do consulado português no Brasil.

O visto D7 dá a autorização para entrar em Portugal e, por lá, requerer a residência permanente.

Ele explica que, com o visto em mãos, chegou em Portugal e teve que agendar uma entrevista no SEF. O que, segundo ele, demora um pouco pois eles analisam novamente toda a papelada para ai sim darem a residência permanente.

“Tem gente que está demorando sete meses para conseguir a residência.”

Nathalia explica, que a renovação funciona da seguinte forma:

  • a 1ª residência é válida por 1 ano
  • a 2ª residência é válida por 2 anos.
  • e a 3ª residência é válida por 3 anos.

Após esse período, é possível requerer a cidadania e, por isso, não é mais necessária a renovação.

QUEM É ELEGÍVEL AO VISTO D7?

Segundo Lucas, esse tipo de visto é ideal para quem tem rendimentos através de:

  • uma empresa;
  • alugueis de imóveis;
  • aplicações financeira;
  • aposentadoria.

Ou, até mesmo, uma pessoa que vá fazer alguma missão religiosa e é financiado por uma igreja ou qualquer instituição com fins religiosos em outro país.

Segundo ele, esse visto acaba fazendo a economia portuguesa girar.

“É um visto para a pessoa ir e gastar o dinheiro que ela recebe.”

É POSSÍVEL TRABALHAR COM O VISTO D7?

Lucas explica que cada caso é um caso.

Na teoria, ele não poderia trabalhar, mas quando chegou sua residência, ela veio com a permissão de trabalho.

Ele conta, que o visto em si não permite trabalhar, mas quando se faz a residência é possível solicitar esta autorização e, até mesmo, abrir uma empresa.

PRE REQUISITOS

Lucas explica que, na lei, o titular do rendimento deve comprovar que têm:

  • 100% do salário mínimo vigente, para que ele possa se manter;
  • mais 50% do salário mínimo vigente, para o cônjuge (se tiver);
  • mais 30% do salário mínimo vigente para cada filho (se tiver).

“Eu, Nathalia e Nina, seríamos 180% de um salário mínimo”.

Esse valor é o mínimo que a lei exige, mas ele diz que o funcionário do consulado que analisa os papéis sabe quanto é necessário para viver em cada região.

Por isso, ele explica que, ter mais de um rendimento e ter mensalmente um valor maior do que um salário mínimo, aumentam as chances de conseguir o visto e a residência.

Morar em Portugal: Visto D7 - Titulares de Rendimentos Próprios

DIFICULDADES DE MORAR EM PORTUGAL

Nathalia diz, que ficar longe da família não é nada fácil. Porém, essa não foi a única dificuldade.

FAZER AMIZADES

Ela explica, que sente dificuldades para fazer amizades.

Por ter sido mãe muito nova, Nathalia conta que os pais dos amigos da Nina no colégio são mais velhos. E, apesar de se relacionar bem com eles, não sente a mesma empatia que sente por seus amigos no Brasil.

“Não chega a ser uma dificuldade, foi a única coisa que não foi beirando a perfeição” – Lucas

COMEÇAR DE NOVO

Lucas explica que, quando se cresce em um bairro específico, é comum saber onde fica cada loja, mercado, papelaria, bar, enfim… é fácil saber onde ir quando se precisa de algo.

Quando se vai para outro país, tem um tempo da adaptação, onde é necessário reaprender até mesmo como se comprar uma passagem de ônibus.

“Aqui se começa tudo de novo”

ALUGAR UM APARTAMENTO

Eles contam, que não tiveram dificuldade para alugar, mas para encontrar um apartamento.

Segundo Lucas, as pessoas descobriram Portugal. Por isso, a demanda de pessoas querendo encontrar um local para alugar está grande.

“Para alugar tem que ser detetive.”

Lucas conta, que estava andando na rua quando viu um homem sujo de tinta fazendo obras em um apartamento. Ele chamou o homem e perguntou se o apartamento que estava reformando era para alugar. O pintor respondeu que sim e pediu que ele retornasse mais tarde para falar com o proprietário.

No final das contas, Lucas conversou com o proprietário e conseguiu alugar o apartamento que ele está morando hoje.

“Fechei o contrato com ele ainda em obra.”

Em relação a documentação, ele explica que é simples. Porém, como geralmente um estrangeiro quando chega não conhece ninguém que seja seu fiador, é preciso pagar um deposito de “x” alugueis antecipadamente.

Lucas já viu pedirem até 6 meses de depósito antecipadamente.

“Eles não ligam se você é turista ou se você tem residência, o que eles querem saber é se vão receber o aluguel.”

Morar em Portugal: Visto D7 - Titulares de Rendimentos Próprios

COMO É SER UM ESTRANGEIRO EM PORTUGAL?

Nathalia diz que se sente super acolhida pelos portugueses.

“O pessoal é muito na boa, eles acolhem.”

Ela explica, que nunca se viu em uma situação em que eles foram preconceituosos ou desrespeitosos por ela ser brasileira.

Nathalia acredita, que por terem muitos brasileiros por lá, eles já estejam acostumados.

Segundo Lucas, não são só os brasileiros que estão dominando Portugal. Há diversos outros estrangeiros no país.

Como exemplo, ele diz que, na sala da Nina tem indianos, iranianos, e diversas outras crianças de diferentes nacionalidades.

Morar em Portugal: Visto D7 - Titulares de Rendimentos Próprios

SERVIÇOS PORTUGUESES

ABRIR CONTA NO BANCO

Nathalia explica, que eles abriram uma conta em Portugal quando ainda estavam no Brasil, mas conta que esse não foi o jeito mais simples.

Para abrir a conta em Portugal morando no Brasil, Lucas diz que foi a uma loja do Banco Millennium no escritório de Botafogo, no Rio de Janeiro.

Porém, estando em Portugal é mais simples. Ele explica que, ao chegar lá foi ao Activobank.

“Em 30min eles abrem a conta e você já saia com o cartão.”

Outra facilidade, segundo Lucas, é que o Brasileiro que vai para Portugal a turismo, também pode abrir uma conta no banco sem problema nenhum.

DIFERENÇA BANCO BRASIL X PORTUGAL

Lucas explica que, em Portugal, ainda não há como fazer transferencias entre diferentes bancos que caiam no mesmo dia (o nosso TED aqui no Brasil). Apenas que caiam no dia seguinte.

 

ADAPTAÇÃO DA NINA EM PORTUGAL

Nathália explica que, desde o começo a Nina já fez amizade.

“Ja tinham brasileiros na sala dela e ela gostou da professora logo de cara.”

A dificuldade que sua filha teve foi para se adaptar a comida.

Nathalia explica que, Nina sempre comeu arroz, feijão e carne dentro de casa. Agora, ela almoça dentro da escola e as refeições incluem sopas e legumes.

ESCOLA EM TEMPO INTEGRAL

Lucas conta, que em Cascais as escolas são em tempo integral.

“Nina almoça e lancha na escola.” – Lucas

Nathalia explica que, para os pais que precisam trabalhar, o horário integral é excelente. Pois há uma janela de horário muito boa em que a criança fica na escola.

“Fica mais fácil para todo mundo.” – Nathalia

Morar em Portugal: Visto D7 - Titulares de Rendimentos Próprios

E ai pessoal, estão gostando da entrevista? Então fica de olho, porque ela não coube em um post só não. Na próxima e ultima parte, eles vão dar uma SUPER dica de como ir morar ou viajar para Portugal sem precisar pagar pelo plano de saúde.

Vai lá e curti nossa página do Bora Morar Fora no Facebook e se inscrever no Canal do Youtube para ser avisado assim que sair a próxima parte. =)

E não se esqueça! Eu ainda ofereço um e-book GRATUITO sobre “Os 7 maiores mitos que te impedem de ir morar fora“, clique aqui para baixar o seu.

Tags:      

«
»

what do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *