TOP
Suécia Viajando Sozinho

“Morar na Suécia: emprego, cursos, serviços, dificuldades e muito mais!”

Morar na Suécia: emprego, cursos, serviços, dificuldades e muito mais!

O bate papo de hoje foi com a Taís Fernandes de 28 anos, que saiu de Linhares no Espírito Santo para morar em Skellefteå na Suécia. Ela já está há 5 anos por lá, e contou para a gente sobre suas motivações, o processo, suas dificuldades, os serviços suecos.. Enfim, dividiu suas experiências sobre morar na Suécia.

Dá uma olhada no vídeo da na nossa entrevista abaixo:

Se preferir a leitura, sem problemas! Abaixo todo o conteúdo e links do nosso bate-papo.

O QUE FAZIA ANTES DE MORAR FORA

Em 2008, Taís foi para Londres, na Inglaterra, fazer seu primeiro intercâmbio com objetivo de aprimorar seu inglês. Ela curtiu tanto a vigem, que começou a cogitar ideia de morar fora.

De volta ao Brasil, Taís começou a faculdade de Relações Internacionais.

Ela explica, que o tempo foi passando e, a cada dia, ela sentia que faltava algo em sua vida.

Foi neste momento, que Taís decidiu correr atrás de seu passaporte Italiano. Ela sabia, que isso facilitaria bastante sua entrada na Europa.

PROCESSO PARA TIRAR O PASSAPORTE

Taís diz, que não foi fácil. Ela explica, que existe uma burocracia por trás que deixa o processo mais difícil.

“Não pelos papéis em si, mas pela espera que é complicada.”

Depois de tanta espera, com passaporte em mãos, Taís chegou a morar em Roma e Veneza. Mas, seu destino final foi Skellefteå, na Suécia.

Morar na Suécia: emprego, cursos, serviços, dificuldades e muito mais!

PORQUE MORAR NA SUÉCIA?

Quando conseguiu tirar o passaporte, ela explica, que precisava decidir se ficaria na Itália, ou se iria para algum outro país europeu.

Neste meio tempo, Taís começou a namorar um Sueco. No fim das contas, o relacionamento influenciou sua escolha, mas, ela explica, que essa não foi sua principal motivação.

Abaixo, as principais causas para sua decisão:

  • a qualidade de vida sueca;
  • o “ensino gratuito” e de qualidade que ela teria acesso.

 

COMO FOI O PROCESSO QUANDO CHEGOU A SUÉCIA?

Taís explica que, mesmo com o passaporte europeu, há algumas burocracias para quem está indo morar na Suécia.

Ela costuma dizer que, independente do passaporte, é preciso um motivo para ir para lá. E, esse motivo pode ser:

  • vinculo familiar: se a pessoa tem um namorado (a), marido ou mulher sueca.
  • trabalho: para quem conseguiu um trabalho no país.
  • estudo: para quem decidiu fazer qualquer tipo de curso, graduação, mestrado ou doutorado.

Sem esse motivo, Taís explica que você não consegue tirar o “cpf seuco”. E, sem ele, não é possível fazer nada por lá.

“Você não pega nem um livro na biblioteca.”

 

ESTUDANDO DE GRAÇA NA SUÉCIA

Taís conta que teve que voltar para escola, aprender um novo idioma.

Assim que chegou por lá, fez um curso de sueco básico chamado SFI (Svenska För Invandrare = Sueco para imigrantes), que é oferecido gratuitamente pelo governo para todos os imigrantes do país.

Quer saber mais sobre o SFI? Abaixo, um vídeo feito por ela para ajudar os novos imigrantes e entenderem melhor o que é, e como funciona:

Em seguida, optou por fazer um outro curso gratuito, que é similar ao nosso “Ensino Médio” só que para adultos. Abaixo, algumas das matérias que formavam sua grade:

  • História da Suécia;
  • Economia da Suécia
  • Direito Privado;
  • Ciências Sociais;

Na teoria, Taís explica, que não há necessidade de estudar tudo isso, mas que a ajudou bastante em sua inserção a essa nova cultura.

“Estou chegando em um país novo, quero entender como funciona esse negócio aqui.”

Para fazer os cursos dos governo, Taís conta que, é preciso apenas estar com o “cpf sueco”.

Em algumas localidades, se você tiver apenas o número é possível se cadastrar, mas ela dá a dica de verificar direitinho, pois cada cidade tem sua burocracia.

PRÓXIMO PASSO

Taís explica que precisou de um plano.

“Vou começar a trabalhar ou fazer uma faculdade?”

Ela decidiu ir para faculdade e fazer um curso que, apesar de não existir no Brasil, é similar ao de Letras.

Entre as matérias que ela estuda neste curso estão:

  • Literatura;
  • Ciências Sociais;
  • Tradução;
  • Muitos tópicos voltados para linguistica.

 

TRABALHO E ESTUDO: É POSSÍVEL?

Taís explica, que cursos de idioma não dão direito a visto de trabalho. Porém, cursos de graduação, mestrado e doutorado, em alguns casos, dão esse direito.

“Cada caso é um caso.”

Por isso, ela conta que, é tão importante entender o que é permitido e o que não é permitido para cada pessoa e cada tipo de visto.

BOLSAS DE ESTUDO

Taís dá como dica, para quem pretende estudar em uma universidade, analisar as bolsas de estudo.

“Eu conheço pessoas que estão com bolsa de estudos 100% pagas.”

Ela explica, que também há casos de parcerias entre universidades brasileiras e suecas, que permitem que a pessoa vá estudar um semestre, sem pagar nada a mais por isso.

Para mestrado e doutorado, Taís diz que é como se fosse um emprego, pois se ganha para estudar. Além de ter os mesmos diretos de um emprego normal: férias, licença maternidade, entre outros.

 

LIDANDO COM O FRIO SUECO

Por gostar de frio, Taís conta que se acostumou rápido as baixas temperaturas. Mas, assim como todo mundo, teve que se habituar ao novo clima.

“Claro que tem aquela fase de adaptação. O primeiro inverno, a primeira mudança brusca de temperatura, a primeira vez que você pega -40º C.”

Ela explica, que -40º C é uma situação mais extrema. Uma temperatura bem comum por lá são -20º C.

Taís conta que, a vida de ninguém para porque está muito frio. Segundo um ditado sueco, a roupa faz toda a diferença.

“Não existe tempo ruim, existe roupa ruim.”

Morar na Suécia: emprego, cursos, serviços, dificuldades e muito mais!

EMPREGO

Taís conta, que não teve dificuldade para arrumar emprego. Seu primeiro trabalho foi dando aulas de português.

“O emprego chegou a mim”

Ela explica que, de acordo com a lei sueca, quando uma criança tem um pai estrangeiro ou uma mãe estrangeira, ela tem direito a ter aulas daquele idioma.

Taís acabou dando aulas de português para filhos de brasileiros e, até mesmo, de angolanos.

 

SALÁRIO MINIMO

Taís explica que, na Suécia não existe um salário mínimo como no Brasil.

O “salário médio“, que é como eles chamam, varia de acordo com o cargo, a experiência e o sindicato da profissão.

“É complicada essa questão porque depende muito.”

De acordo com o site do governo, há um calculo onde o salário médio antes dos impostos é de aproximadamente SEK 33mil coroas, mais ou menos BRL 13.200 reais hoje.

Levando em conta que, em algumas regiões da Suécia o imposto é de 30%, o salário médio final seria de SEK 23.100 coroas, mais ou menos BRL 9.240 reais.

Com esse salário, Taís explica que é possível viver bem por lá, mas sem muitos luxos.

IMPOSTOS

Taís diz que, tanto ela quanto a maioria de seus conhecidos pagam impostos sem reclamar, pois veem há retorno do governo em relação a:

  • segurança;
  • hospitais;
  • ensino;
  • entre outros.

“A gente vê o retorno pela quantidade imensa de impostos que a gente paga”.

Segundo ela, o sistema não é perfeito, pois nenhum sistema do mundo é, mas comparando com o Brasil, ela diz que não tem nem o que falar.

Morar na Suécia: emprego, cursos, serviços, dificuldades e muito mais!

SAÚDE PÚBLICA

Assim como em muitos países, na Suécia, antes de ir a um médico especialista, é preciso passar por um clínico geral ou por uma enfermeira que tenha um diploma diferenciado para dar esse tipo de diagnostico.

Taís explica, que os hospitais funcionam da seguinte forma:

Para cada consulta é pago um valor de aproximadamente SEK 200 coroas (BRL 80 reais). Porem, quando o paciente chega a um teto máximo anual de SEK 1.200 coroas (BRL 480 reais), ele para de pagar.

Ou seja, a quantia máxima que uma pessoa gasta no ano com saúde é SEK 1.200 coroas (BRL 480 reais).

“Não importa se você é rico, se você é pobre, o máximo que você vai gastar com taxas hospitalares são essas SEK 1.200 coroas.”

Taís explica que, consultas com psicólogos e exames também estão inclusos. É realmente tudo que for relacionado a saúde.

 

CANAL – AQUI NO EXTERIOR

Taís explica que, no inicio o canal se chamava “AQUI NA SUÉCIA”.

Ela diz, que quando começou, não haviam canais que falavam sobre a Suécia em Português, e ela queria dividir essa experiência e ajudar novos imigrantes brasileiros.

Com o tempo, viu que podia falar de vários outros assuntos e países por onde ela estava passando. E foi a partir daí que mudou o nome do canal para “AQUI NO EXTERIOR“.

Taís conta, que está feliz porque o pessoal está gostando e conectando com o canal.

Devido ao respeito que tem com seu público, ela explica que é bem chata em relação a informação.

Taís explica, que vê tanta coisa errada na internet, que prefere demorar um tempo maior para fazer um vídeo, do que lançar sem ter certeza da qualidade do conteúdo.

“Eu trato as pessoas que me assistem com muito respeito, pois é assim que eu gostaria de ser tratada.”

Morar na Suécia: emprego, cursos, serviços, dificuldades e muito mais!

VIDEOS AQUI NO EXTERIOR

O canal está cheio de vídeos e informações super legais para quem quer saber mais sobre a Suécia. Abaixo, selecionei alguns para quem tiver interesse de saber um pouquinho mais!

 

ALUGAR APARTAMENTO NA SUÉCIA

Taís relata que alugar um apartamento bem Suécia é bem complicado.

COMO FUNCIONA

Ela explica, que muitas imobiliárias funcionam com sistemas de filas.

Quando uma pessoa vai alugar um apartamento, ela entra em uma fila de espera que funciona através de pontos. Quanto mais tempo na fila, mais pontos e chances a pessoa tem de alugar.

“Note que eu falei mais chances, não quer dizer que você vai conseguir.”

Até onde ela sabe, não há um prazo limite, mas Taís explica que está na fila para mudar para um apartamento maior há 5 anos.

Em cidades como Estocolmo, ela conta que há casos de pessoas que ficam até 10 anos na fila.

Segundo Taís, o QI (“quem indica”), está presente na cultura sueca. Para quem têm muitos contatos, isso pode facilitar a vida, mas para “seres humanos normais”, ela diz que não tem jeito.

“Não tem choro nem vela”

DICA PARA QUEM ESTÁ INDO ATRAVÉS DE UMA EMPRESA

Por isso, ela sugere que, se você teve uma proposta de emprego para trabalhar na Suécia, converse com a empresa sobre essa questão da moradia.

Segundo Taís, as empresas que são de grande porte já oferecem moradias para os expatriados, mas como cada caso é um caso, é bom conversar sobre isso antes de ir para lá.

Ela explica que, é muito arriscado chegar na Suécia sem ter onde morar, pois não há como registrar uma residência em um hotel.

Sem esse registro, não é possível conseguir o “CPF sueco”, e sem ele não se faz nada por lá.

 

GASTOS GERAIS

Abaixo, alguns gastos citados por Taís:

  • Um apartamento no centro de Skellefteå é mais ou menos EUR 450 euros. Em Estocolmo, é mais caro, aproximadamente EUR 1.184 euros.
  • Taís gasta EUR 13 euros com internet. Ela explica que isso é uma media, mas vai depender da velocidade da conexão. Com esse valor, ela paga por uma internet rápida e ilimitada.
  • Ela explica que por lá, a água não é paga. Ela não sabe dizer se é apenas em Skellefteå, mas vale conferir antes de alugar.

Para quem quer saber sobre compras no mercado, ingresso de cinema, transporte, entre outros, vale a pena conferir o post feito por Taís para o site Eurodicas que se chama Custo de vida na Suécia.

 

RELACIONAMENTO

Taís sabe que, no Brasil existem homens maravilhosos, que respeitam e entendem a igualdade de sexos. Mas, ela sabe também que, existe muito machismo.

Diz que, teve a sensação de que as tarefas do dia a dia era feitas de forma mais justa dentro de casa, e isso para ela foi um diferencial.

“As vezes eu tenho que trabalhar ou estudar até tarde, ele vai fazer as coisas que precisam ser feitas dentro de casa… em outro dia, serei eu”

 

DICA PARA QUEM QUER COMEÇAR AGORA ESSE SONHO

COMECE A ESTUDAR SUECO

Sua principal dica é estudar Sueco.

Apesar de todos por lá falarem inglês, no dia a dia, a língua materna deles é o sueco. Por isso, Taís explica que:

  • As conversas socias com amigos e colegas de trabalho são em sueco;
  • O jornal na televisão e em papel, são em sueco;
  • As leis e discussões importantes para o país, também são em sueco.

Além disso, Taís ressalta que as pessoas que não falam a língua do país, tem mais dificuldade em arranjar emprego.

NÃO VÁ SEM INGLÊS

Diferente do Brasil, por lá, todos falam inglês.

Segundo Taís, falar inglês na Suécia não é um diferencial.

“Se você não tem inglês, sinto muito”

LEIA SOBRE OS VISTOS

Taís indica, ler bastante sobre os tipos de visto.

Saber, quais são os direitos e deveres de cada tipo, para entender qual a melhor opção dentro de cada circunstância.

 

BEST SPOTS EM SKELLEFTEÅ

Para quem pretende visitar ou morar em Skellefteå, Taís deu 2 dicas locais da cidade.

CIDADE ANTIGA

Ela conta que, em Bonnstan há diversas casas de madeira com mais de cem anos. Explica, que é um lugar maravilhoso e, que ela gosta muito de caminhar por lá.

CAFETERIAS DA CIDADE

Taís explica, que as cafeterias são parte muito importante dos costumes locais. Em especial, ela fala da Café På Bit, que é sua favorita.

Segundo Taís, lá existe a cultura do “fica”, onde as pessoas dão uma pausa em seu dia para se distrair tomando um café com amigos e colegas de trabalho.

Para facilitar essa distração e integração do pessoal, as cafeterias têm jogos de tabuleiro e video games. Ela explica que, os horários ideais são as 10h da manhã e as 14h da tarde, pois costuma ser o horário de pico.

“As pessoas levam isso a sério.”

Morar na Suécia: emprego, cursos, serviços, dificuldades e muito mais!

A Taís sentiu que estava falando algo em sua vida e correu atrás do seu sonho de morar fora. E você? Também acha que está faltando alguma coisa?

Se gostou da entrevista, fica de olho através das redes sociais do Bora Morar Fora porque vem mais por ai. Basta curtir a página do Bora Morar Fora no Facebook e se inscrever no Canal do Youtube para ser avisado assim que sairem as novidades.

E não se esqueça! Eu ainda ofereço um e-book GRATUITO sobre “Os 7 maiores mitos que te impedem de ir morar fora“, clique aqui para baixar o seu!

Tags:    

«
»

what do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *