TOP
Japão Viajando em Casal

“Morar no Japão: tudo sobre a vida de um brasileiro que vive por lá”

Morar no Japão - Bora Morar Fora

Hoje tive a oportunidade de conversar com essa figura incrível que é o Alexandre Angulo, mais conhecido como Neguinho. Ele era de Assis, interior de São Paulo no Brasil, e foi morar em Nagoya, no Japão. Há 17 anos morando por lá, ele contou um pouco para a gente como é a vida de um brasileiro que decidiu morar no Japão.

Dá uma olhada no vídeo da na nossa entrevista abaixo:

 

 

O QUE FAZIA ANTES DE MORAR FORA

Antes de ir para o Japão, Neguinho havia acabado de terminar o ensino médio e estava trabalhando como garçon em São Paulo.

 

PORQUE MORAR NO JAPÃO?

Sempre quis morar fora, a primeira ideia era ir para os Estados Unidos, mas como estava namorando uma descendente de japonês, decidiu casar e ir morar fora junto a sua mulher.

 

COMO FOI O PROCESSO ATÉ CHEGAR NO JAPÃO?

No caso do Neguinho, ele casou com uma descendente de japonês, e com isso conseguiu o visto para ir e trabalhar legalmente no Japão.

VISTO PARA O JAPÃO

Existem diversos tipos de visto para o Japão. Por ser casado com uma descendente de Japonês, Neguinho foi com o visto de cônjuge de descendente japonês, onde tinha os mesmos benefícios que o descendente.

Abaixo os mais comuns para quem pretende morar fora ou visitar o país:

  • Específico de Longa Permanência: É concedido a filhos ou cônjuges de japonês. O tempo de vigência do visto varia podendo ser de 6 meses, 1 ano, 3 anos ou 5 anos;
  • Trabalho: ele dá ao estrangeiro o direito de ir trabalhar com uma profissão já definida. Para isso é preciso a ocupação esteja na lista de profissões qualificadas pelo governo. O tempo de permanência varia de um a três anos conforme a área de atuação;
  • Estudantes: podem trabalhar, mas de maneira limitada (até 28 horas semanais) e com autorização prévia do Departamento de Imigração. O tempo de vigência do visto é de 2 anos, podendo ser renovado;
  • Curta duração: é destinado a turistas e tem validade de até três anos, com direito a entradas múltiplas e período de permanência máximo de 90 dias.

Para quem planeja morar no japão, no site do Ministério dos Negócios Estrangeiros é possível encontrar todos os tipos de vistos de trabalho ou de longa duração bem especificados em Inglês.

 

MORANDO FORA

INICIO DA VIDA FORA DO BRASIL

Segundo ele há uma estrutura muito boa para quem é descendente de japonês e cônjuge. Quando ele chegou no Japão já estava tudo encaminhado.

Ele contou que a comunidade brasileira no Japão é muito grande. Hoje Neguinho trabalha em um restaurante que fica em um shopping só de brasileiros. Explica também que há mais ou menos 200mil brasileiros vivendo por lá.

Bora Morar Fora

 

APRENDENDO JAPONÊS

Apesar da lingua ser uma barreira, há uma estrutura muito grande para brasileiros. Segundo Neguinho toda empresa tem um tradutor.

Nos primeiros 6 meses ele conta que começou a estudar por fita de vídeo. Havia uma professora que vendia fitas de video e apostilas com aulas de japonês para brasileiros.

Ela enviava um pacote para 6 meses, onde era uma fita e uma apostila por semana. Mas Neguinho conta que fez tudo em duas semanas! Ele “engoliu” a matéria toda para aprender logo o básico. Depois disso, demorou 10 anos para voltar a estudar.

Sua principal motivação foi sua filha. Ele percebeu que com o passar dos anos ela acabaria falando japonês fluente e ele ficaria para trás. Em sua cabeça, Neguinho nem cogitava essa possibilidade e por isso começou a estudar.

“…eu vou chegar na escola e ela vai fazer a tradução para mim? Isso ai nunca!”

Ele começou a estudar e conta que ainda sente que não é 100% fluente, mas “se vira” legal. Já inclusive pensa em japonês.

 

CURIOSIDADES DA LÍNGUA

Neguinho contou que existem três tipos de siglas por lá. O Kanji (漢字), o Hiragana (ひらがな) e o Katakana (カタカナ).

Em relação aos Kanjis ele explica que:

  • Quem sabe 6mil kanjis tem o japonês muito bom, mas são pouquíssimos no país;
  • Na lei japonesa existem 2,2mil kanjis;
  • ao final do primário se aprende 1006 kanjis;
  • E para “se virar” lá é preciso saber apenas 300 kanjis.

Segundo Neguinho o Hiragana é o silabário mais usado, ele serve para ajudar o Kanji. Já o Katagana tem os mesmos sons do Hiragana, mas é utilizado para escrever palavras de origem estrangeira.

Morar no Japão - Bora Morar Fora

 

MAIORES DIFICULDADES

Neguinho conta que o país é muito organizado devido a assistência que dão a descendentes japoneses. Por sua primeira mulher ser descendente e ele cônjuge, logo que pisou no Japão, já chegou com apartamento e emprego e para esses tópicos não teve dificuldade nenhuma.

Suas grandes dificuldades foram:

  •  o clima, pois ele não gosta de frio e há períodos que por lá que chega a nevar;
  • e a comida, porque não gosta de comida japonesa. Todo dia ele cozinha comida brasileira.

Hoje, devido a ter casado com uma Japonesa, ele diz que seu maior desafio tem sido falar português com os filhos. Lá, ele só fala Japonês, inclusive com sua mulher, então não tem muito sentido conversar com os filhos na sua lingua nativa.

Morar no Japão - Bora Morar Fora

 

RENOVANDO O VISTO APÓS SEPARAÇÃO

Neguinho separou de sua primeira esposa após 3 anos morando no Japão. Ele conta que em relação ao visto não houve nenhum tipo de problema. Uma vez cônjuge por lá, há os mesmos direitos da pessoa que o concedeu o visto.

Ele explica que há uma confusão entre esse aspecto pois os decendentes acham que o cônjuge depende deles para tirar o visto, mas na verdade o direito é o mesmo depois que casa. Ele comentou que depois que separou conseguiu renovar o visto outras vezes.

A lei do Japão não fala nada quando o assunto é visto e separação. Segundo Neguinho, depende muito da imigração conceder ou não a permissão. No caso dele, quando foi renovar não levou nenhum documento referente ao casamento, apenas seu passaporte e conseguiu tirar a renovação normalmente.

“Eu nunca fiquei ilegal no Japão”

SEGUNDO CASAMENTO

Neguinho conheceu Yumiko, que é japonesa, em uma boate para brasileiros. Ele conta que com um mês de relacionamento ela a engravidou.

Ele já estava há 10 anos no Japão, com o visto para expirar e não ia mais conseguir renovar pois estava desempregado. O único jeito de ficar perto de sua filha era casando. Ele explicou toda situação para sua namorada e eles resolveram casar.

Hoje, Neguinho está casado há 7 anos. Além de sua filha de 6 anos, Harumi, mais conhecida como pretinha, ele tem também um menino de 2 anos, Yuki.

Bora Morar Fora

 

RENDA

Em um vídeo em seu canal no youtube, “Meu salário de operário no Japão“, ele explica que em um mês de muito trabalho, quase sem folga, ele ganha o equivalente a R$13.000 reais, mas não é o normal. Esse seria um mês muito bom.

Levando em consideração que ele explicou que ganha JPY $1.300 por hora, aproximadamente BRL R$52 (baseados no valor da moeda japonesa, Iene JPY, hoje a BRL R$0,04), podemos concluir que um funcionário que trabalha 8h por dia, 5 vezes na semana, tem um salário de BRL R$8.320 reais no mês.

Bora Morar Fora

 

IMPOSTOS

Neguinho conta que os impostos são altos, abaixo alguns exemplos citados por ele:

  • Porcentagem sobre a remuneração mensal: ele paga em torno de 5%. É como se fosse o INSS no Brasil.
  • Shouhizei: está em torno de 8%. É o valor do imposto embutido nas mercadorias. É o equivalente ao ICMS no brasil.
  • Seguro Saúde: 9,97% até 40 anos e 11,69% acima de 40 anos.
  • Imposto anual automóvel: aqui no Brasil chamado de IPVA, ele explica que depende do tipo de cilindrada. Como tem uma motinho 50c, paga muito pouco, o equivalente a 1h de trabalho.
  • Imposto municipal: 7% a 10%

Bora Morar Fora

 

GASTOS

Neguinho diz que o Japão é um país caro, mas se vive com dignidade. O grande problema é que as pessoas com baixo poder aquisitivo geram altas dívidas ao comprar um imóvel ou um carro. Ele relata que elas ficam escravas do sistema.

Abaixo os maiores gastos citados por ele

  • Aluguel: para simplificar o calculo, ele explicou que paga o aluguel com uma semana de trabalho. Fazendo as contas em um salário de BRL R$8.320 (como calculados acima), ele gasta aproximadamente R$ 2.080.
  • Creche: seus filhos estudam na creche do governo, mas é paga uma mensalidade baseada no salário. Segundo ele paga aproximadamente meia semana de trabalho. utilizando a mesma base de calculo do tópico anterior, podemos dizer que seus gastos são mais ou menos R$ 1.040 para os dois filhos.

 

TERREMOTO

Neguinho conta que tem terremoto quase todo dia no Japão, mas a maioria é imperceptível aos habitantes. As casas lá são feitas de madeira. Segundo ele, se fossem de concreto seriam derrubadas em dois dias.

Morar no Japão - Bora Morar Fora

 

PLANO DE SAÚDE

No Japão não há uma emergencia pública como o SUS no Brasil. Sempre que há necessidade de ir ao médico ou ao hospital deve-se arcar com os custos.

  • Quem está associado a um plano de saúde paga apenas 30% do valor das despesas médicas.
  • Quem não está associado a um plano de saúde paga o valor total das despesas médicas.

Todos os residentes no japão, independente da nacionalidade devem estar associados a um plano de saúde. Abaixo os dois tipos de planos existentes:

  • Kenko-hoken: para funcionários que estão trabalhando em empresas;
  • Kokumin-kenko-hoken: para os trabalhadores autônomos, desempregados e outros.

Neguinho conta que a carteirinha do plano não dá desconto na parte estética. Devido ao valor se alto, é comum você ver japoneses com dentes mal cuidados.

“Japonês tem o dente todo arregaçado”

Bora Morar Fora

 

RESIDENTE PERMANENTE

Neguinho demorou 17 anos para tirar o visto de residente permanente pois segundo ele, como é casado com uma japonesa, não via necessidade de ter.

A decisão veio após ler o livro “Comer, Rezar e Amar”, pois no filme havia um estrangeiro nos EUA que teve que sair após o atentando as torres gêmeas e nunca mais pode ver seus filhos. Com medo de que um dia pudesse acontecer o mesmo, ele decidiu resolver logo essa burocracia.

Em seu canal no Youtube, ele fez um video chamado Consegui tirar o visto permanente. Lá ele dá detalhes do seu processo e fala da importância de se conhecer seus direitos.

Ele explica que quando foi tirar o visto de residente permanente uma funcionária da imigração falou que ele não estava apto pois seu visto atual era de um ano. Por ter lido a lei pelo menos uma meia dúzia de vezes, sabia que não havia esse empecilho e deu segmento ao processo. Hoje ele é residente permanente.

Segundo Neguinho, para dar entrada em um visto de residente permanente o brasileiro precisa estar morando há 10 anos por lá. Porém, se for casado com um japonês ou descendente a regra muda:

  • Se for casado com uma japonês nato, pode solicitar após 3 anos no Japão;
  • Se for casado com um Nisseis (filho de japonês) pode solicitar após 3 anos no Japão;
  • Se for casado com um Sanseis (neto de japonês) pode solicitar após 5 anos no Japão;

Bora Morar Fora

 

CONVERSA DO NEGUINHO – Canal no Youtube

“Conversa do Neguinho” é um canal que ele criou no Youtube onde mostra o dia a dia de sua vida. Como calhou dele estar no Japão, os assuntos são muito instrutivos para brasileiros que tem vontade de conhecer o dia a dia de uma pessoa que está vivendo por lá, além de ser bem engraçado.

O canal no youtube surgiu pois ele ficava a noite sozinho em uma fábrica. Era linha de produção, mas Neguinho relata que ficava em um quarto fechado. Para o tempo passar ele ficava no “Facebook” e escrevia alguns tópicos polêmicos para os amigos comentarem.

Ele se divertia muito e pensou que se publicando besteira no “Facebook” o pessoal estava comentando, imagina se fizesse vídeos.

“Se eu falar então, vão me xingar mais, se eu fizer um video vai ser melhor ainda”

Abaixo alguns vídeos que eu selecionei super legais para quem pretende morar no Japão:

 

BEST SPOTS EM NAGOYA

Neguinho deu três dicas para quem vai morar ou visitar Nagoya.

  • Castelo de Nagoya
  • Estação de Nagoya
  • Os botecos por lá e principalmente ir no bairro Sakae, que te da a possibilidade de ficar rodando por barzinhos.

Bora Morar Fora

 

DICA PARA QUEM QUER COMEÇAR AGORA ESSE SONHO

Neguinho dá duas grandes dicas:

  • Estude Japonês: para poder ter mais escolha de emprego. Mesmo que seja o básico, é melhor do que ficar dependendo de tradutor.
  • Trabalhe pouco: Não se mate de trabalhar, pois não compensa.

 

 

Apesar da dificuldade, Neguinho conta que não se arrepende de ter ido para o Japão. Ele conseguiu viver e realizar seu grande sonho. E você? Quando vai realizar o seu?

Se você curtiu essa entrevista, compartilhe nas redes sociais e marque seus amigos. =)

Tags:           

«
»

what do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *