TOP
Nômades Digitais Viajando Sozinho

“Vida de freelancer pelo mundo”

Vida de freelancer pelo mundo

Nessa última parte da minha entrevista com a Debbie Corrano, ela conta como está sendo sua vida de freelancer pelo mundo. Fala sobre seus projetos para o futuro, o país que mais gostou e o que menos curtiu até agora e, dá dicas de locais e melhores experiências que ela já teve durante essa jornada.

Dá uma olhadinha no vídeo da nossa entrevista:

 

FREELANCER PELO MUNDO

Debbie conta, que já está a mais de 3 anos trabalhando como “freela”e viajando pelo mundo.

Abaixo, alguns de seus destinos e o tempo aproximado de permanência:

  • Berlin, Alemanha – 9 meses
  • Chiang Mai, Tailandia – 3 meses
  • Lisboa, Portugal – 2 meses
  • Barcelona, Espanha – 4 meses
  • Budapeste, Hungria – 2 meses
  • Zagreb, Croácia – 2 meses

Ela conta, que dependendo da cidade, fica mais ou menos tempo. Recentemente tem ficado apenas 1 mês e meio em cada local.

 

DIFICULDADES DESSA VIDA

Para Debbie, a parte difícil é ficar sempre pensando a frente. Ter, o tempo todo, que se preocupar em reservar um novo Airbnb, comprar uma nova passagem, estar sempre de olho no futuro. O que antes era um prazer, se tornou uma obrigação.

“As vezes você só quer ficar na sua, e você está cansado um pouco.”

Vida de freelancer pelo mundo

LOCAL QUE MAIS GOSTOU

Debbie diz, que todas as experiências são muito diferentes, mas destacou dois lugares, que para ela chamaram mais atenção:

  • Lisboa: como ama sair da zona de conforto, achou que Lisboa não fosse surpreender muito devido ao idioma falado ser o mesmo que o nosso. Porém, Debbie relata que a cidade a encantou e, por isso, pretende voltar para ficar mais tempo.
  • Belgrado: ela também não esperava nada da cidade e achou simplesmente incrível. Explica, que o local é muito diferente, pois estava sendo bombardeado até 1999. Por isso, é possível encontrar prédios completamente destruídos ao lado de um café local super hipster e badalado.

    Debbie conta, que se sentiu segura por lá. Explica, que apesar dos sérvios terem a cara “fechada”, é importante entender que eles vem de um “background” muito recente de guerra.

“Essa é a beleza de ser nômade, respeitar e entender porque as coisas são desta forma. E não só ficar reclamando que eles não são simpáticos.”

Vida de freelancer pelo mundo

 

LOCAL QUE MENOS GOSTOU

Segundo Debbie, é um pouco injusto dizer isso, mas está gostando menos da Bulgária.

Ela explica, que o motivo de não estar curtindo tanto a experiência deve ser devido a casa que alugou.

A casa não tem ar condicionado e por lá está fazendo 35 graus todos os dias. O local que ela deveria se sentir mais a vontade, está sendo motivo de desconforto.

“Meu deus está tudo quente, vou passar o dia inteiro em casa, trabalhando de casa.”

 

GASTOS GERAIS EM BERLIM

Em Berlim, na Alemanha, Debbie explica que a média de uma casal é de EUR €500.

“Com esse valor se vive bem por lá”

Ela explica que paga aproximadamente de 6 a 7 euros em um prato de comida em um lugar legal. Mas lógico, devido a visitar vários países, faz uma comparação com a Bulgária, em que o prato de comida custa entre 4 e 5 euros.

Como uma boa dica para reduzir os gastos, ela conta que é possível conseguir descontos no AIRBNB quando se fica por um período maior nos locais, basta entrar em contato com o anfitrião.

Vida de freelancer pelo mundo

 

BEST SPOTS

Durante sua jornada como freelancer pelo mundo, algumas experiências foram únicas:

  • Sleep no more: um teatro imersivo em Nova York, onde se entra em um hotel e várias cenas estão acontecendo ao mesmo tempo. Segundo Debbie, é possível mexer em tudo. Gavetas, armários, cômodos, enfim, é possível fazer o que quiser. As cenas acontecem em diferentes salas e todo mundo usa uma mascara, exceto os atores.

“Quando você vir uma pessoa correndo sem máscara, corre atrás dele que vai começar alguma cena”

  • Belgrado: além de muito legal, ela explica que é um local incrivelmente barato.
  • La Premiata Ditta: Debbie indica todos os restaurante vegetarianos de Berlin, mas esse em especial tem um nhoque com molho de manteiga trufado, que é a melhor comida que já experimentou em toda sua vida.
  • Andar de scooter na Tailândia: Debbie conta, que a experiência é outra quando se aluga esse meio de transporte na Tailândia. Ela explica, que nunca havia dirigido antes uma moto dessas, mas que lá não é necessário carteira de motorista para fazer o aluguel.

Vida de freelancer pelo mundo

Debbie saiu de sua zona de conforto e hoje trabalha viajando pelo mundo. E você? Vai continuar vivendo no piloto automático?

Se gostou da entrevista, fica de olho através das redes sociais do Bora Morar Fora porque vem mais por ai. Basta curtir a página do Bora Morar Fora no Facebook e se inscrever no Canal do Youtube para ser avisado assim que sairem novos bate-papos.

E não se esqueça! Eu ainda ofereço um e-book GRATUITO sobre “Os 7 maiores mitos que te impedem de ir morar fora“, clique aqui para baixar o seu!

 


Sequência de entrevistas da Debbie Corrano para o Bora Morar Fora:


Tags:   

«
»

what do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *